domingo, novembro 26, 2006

História da "CEU"


A entrevista a seguir, publicada originalmente no Mensageiro Celeste nº 14, edição de julho de 2004, ilustra de forma sucinta a trajetória da “CEU” desde sua fundação até os dias atuais.

MC: Como se deu a criação da "CEU"?
Kabir: A "CEU" nasceu em 6 de julho de 1985 na rua Grão de Areia, Ilha do Governador, em uma sessão que reuniu 14 sócios fundadores, presidida por Tayguara Cardoso - Kauary Manas do Nilo - primeiro Sumo Sacerdote da Casa. Kauary recebeu orientação de três Mestres Espirituais para esse feito: Mestre Shidha, Mestre Shintho Khan e Mestre Domênico. A proposta era estabelecer uma Fraternidade voltada para a prática da religiosidade, meditação, cura e estudo esotérico.

MC: Como surgiu a idéia de abrir uma Casa assim?
Kabir: A partir da renúncia de Kauary ao Patriarcado da IEVE (Irmandade Espiritualista Verdade Eterna), decretada por Mestre Shidha, cerca de um ano antes da criação da "CEU". Kauary assumiria novas missões com Mestre Shintho Khan, dentre elas a criação de mais um núcleo de trabalho com a Grande Falange Branca - a Comunidade Eldorado Universal.

MC: Quais as benfeitorias que a Casa vem trazendo para pacientes e médiuns?
Kabir: A "CEU" busca propiciar alívio e cura para as enfermidades espirituais dos milhares de pacientes e médiuns que a ela acorrem. Ao longo dos anos, foram se somando novas frentes de trabalho - terapias alternativas, cursos, atendimentos comunitários etc. - que consolidaram seus alicerces. Atualmente, a Casa realiza projetos idealizados nos primeiros anos de sua existência, por exemplo: o atendimento jurídico, o curso Missão Celeste, a assistência a orfanatos e a publicação mensal de seu informativo próprio.

MC: A "CEU" se denomina como? Ela pode ser considerada uma religião?
Kabir: A "CEU" é uma escola iniciática com ritos próprios, voltada para a prática do espiritualismo oriental e do ecumenismo. Por essa razão ela não pode ser considerada uma religião.

MC: A "CEU" é uma Casa que recebe pessoas de várias religiões e crenças, como isso é administrado?
Kabir: Nossa missão número um é conceder iniciação e servir a homens e mulheres de todas as raças e todas as crenças religiosas, sem impor nenhum limite à livre investigação da verdade porque acreditamos nas leis imutáveis e universais da evolução. Nossa rotina é ensinar e praticar a cura espiritual, a religiosidade e o autoconhecimento.

MC: Freqüentar a "CEU" deve ser feito com que propósito e finalidade?
Kabir: Auto-realização pela fé ativa, pelo estudo e pelo serviço à coletividade.

MC: A Casa lida com a cura através da imposição das mãos e de energia. Como isso é trabalhado em cada médium?
Kabir: O desenvolvimento do médium nesse tipo de cura acontece de forma paulatina e é coordenado sabiamente pelas Entidades Espirituais da Casa justamente para que o médium não incorra no perigo da fascinação. O trabalho com os centros psíquicos requer muito refinamento pessoal, responsabilidade e estudo.

MC: Do alto dos 19 anos, você como Sumo Sacerdote da Casa, como analisa esta caminhada? O que espera daqui para a frente?
Kabir: É uma benção poder testemunhar o coroamento dos esforços envidados por milhares de pessoas para que a "CEU" pudesse firmar seus pilares e continuasse realizando sua nobre missão: servir à humanidade. Meu desejo é poder trabalhar cada vez mais para que a Fraternidade cresça em luz, concretizando projetos de paz e esperança para todos.

5 comentários:

sahalliwell disse...

Bem parece o nosso shinto khan!
akele de barba!srsrs

"CEU" disse...

A imagem realmente lembra o Divino Mestre, como você observou. Parabéns pela acuidade.

Anônimo disse...

Eu sou o que sou - JETRO, FILHO DE AMARIAS

NAMASTE A TODOS .´.

Sat Sadaya disse...

Até hoje nos meus rituais, a Honorável Mestra Ísis do Templo de Cristal, pitonísa da CEU, que até hoje me guia; me faz lembrar, que através do meu humilde postulado na CEU, pude ser o vetor da ascensão única do irmão Kabir. No momento em que a Mestra o convidou, através de mim, à integrar a CEU, nem eu poderia saber a importância de uma missão celeste. Namastè Profundo.

Anônimo disse...

Muito boa a página da CEU que eu ainda não conhecia.
Parabéns aos idealizadores e parabéns a CEU.
Namaste a todos...
Dâlanda do Tibet