sexta-feira, fevereiro 06, 2009

O QUE É ESPIRITUALIDADE?

Colaboração do aspirante Raul de Paula Lamblet

O homem é um ser espiritual vivendo em uma realidade física, terrena. Uma experiência evolutiva com vistas ao aprimoramento da personalidade. O espírito é uma jóia, um diamante raro que reflete mais ou menos a luz criadora em função das escolhas que o livre-arbítrio faz durante as sucessivas possibilidades de aperfeiçoamento que o próprio universo concede, não apenas ao homem, mas a todas formas de vida, sejam elas do reino mineral, vegetal ou animal.

Tudo é cíclico, tudo é vivo, se refaz e se desfaz como as próprias partículas atômicas que compõem a estrutura molecular do grande universo que nos abriga, por ora. E sendo espiritual, o homem em algum momento de sua vida descobre essa realidade que nada tem a ver com religiosidade. Em algum momento o homem se move e se posiciona em sua vida respaldado na espiritualidade que nada mais é senão essa conexão com a sua morada interior, com esse espaço sagrado de onde vêm todas as certezas, as respostas, as soluções, os segredos. A origem da vida, os mistérios, a ancestralidade, a genética espiritual, o nosso acervo original. Aquele que é própria vida, pois é e ao mesmo tempo está contido na concepção original da raça humana. Espiritualidade é um jeito de ser e de viver porque pressupõe a crença em uma realidade que extrapola as dimensões da tridimensionalidade, do concreto, do lógico, do provável e do comprovado.

Espiritualidade é realmente um estado do espírito, a manifestação do sagrado que brota naturalmente como consequência de uma vivência íntima do espírito.

A espiritualidade é uma experiência cotidiana, como olhar para o próximo e vislumbrar o seu lado divino e não as imperfeições que aprisionam, é se levantar e agradecer simplesmente por estar vivo, é perceber o azul do céu, o canto dos pássaros, a chuva que refaz os ciclos da vida, a exuberância de uma flor, a mão que mostra o caminho, o amigo que fica bravo com você e te acorda para a necessidade de mudar. É se fazer merecedor dessa oportunidade maravilhosa que é viver. É acreditar no amor sempre. No beijo, no abraço, no olhar. É a fé no inexplicável, no intangível.

Extraído do site Jornal Infinito - http://www.jornalinfinito.com.br/

2 comentários:

FRANCISCO disse...

Lendo o texto visualizei a espiritualidade como sendo aquelas gotículas de água que brotam nas paredes da caverna para se tornarem o rio caudaloso que fertiliza a terra por onde passa. Somos gotas e rio ao mesmo tempo. Não devemos esquecer que somos gota mesmo quando pensamos ser somente rio. Namastê!

Ravendra Rohinila disse...

Gostei de sua observação, Chaitra.
Meus ouvidos a receberam como que um alerta a avisar o quão necessário é estar consciente das mais diversas fases que vivenciamos e de como as mesmas são extremamente necessárias ao nosso aprendizado.Por outro lado, se sabemos ser gota e ao mesmo tempo o rio, me parece que a ansiedade normal que paira por todo ser humano, têm cada vez menos, lugar neste cenário. Estamos caminhando para uma percepção cada vez maior do que realmente somos e, com isto, aprendendo a vivenciar os "estados" de gota e de rio de forma cada vez mais consciente...ora aqui e ora alí, conforme a necessidade de nosso aprendizado. A liberdade se faz e nossa responsabilidade aumenta. Que a força de nossa luz cresça cada vez mais e cumpra seu papel no Plano Divino. Namastê!