quinta-feira, março 05, 2009

O VERDADEIRO SATSANGA

Certa vez o discípulo caminhava por uma estrada que cor- tava uma densa floresta. Em sua jornada pensava no mis- tério da dor e do sofrimento. Pela estrada observava os pássaros, as árvores e suas lindas flores. Percebia que mes- mo a mais bela das flores um dia caia ao solo e que os pássaros que cantavam belamente hora ou outra eram devorados pelas aves de rapina.

Vendo a impermanência das coisas, mesmo das mais belas, descobriu que o prazer que as acompanham também se esvaia rapidamente. Não agüentando a dor que invadiu seu coração chorou como uma criança, pois achava que essa era a sua sorte também, a impermanência.

Ao fim da jornada ele chega ao monastério e vai se prostar ante o seu guru. Percebendo a tristeza do discípulo o guru pergunta:

- Acaso duvidas que não há Felicidade? Achas que tu real- mente sofre?

Surpreendido o discípulo responde:

- Senhor, ao abrir meus olhos pude perceber sofrimento aqui e ali. Como sair do emaranhado de dor? Tu me ensi- naste que o Ser está em tudo. Contudo, busco-o e não o encontro. O que me diz? Só há dor...

O mestre olha-o severamente e fica em silêncio por um instante para depois falar:

- Querido, de fato tudo isso é o Ser, não há dúvida nisso. Você não o encontra porque não faz bom uso do seu discernimento. Tudo é dor e sofrimento para aquele que usa o discernimento, pois ele percebe que tudo é imper- manência e essa impermanência faz da vida do homem um joguete. Quanto mais ele percebe a impermanência, mais se apega a ela. Ah! Incessante busca pelo efêmero! Amado, para ver o Ser é preciso trazer a tona a percepção de Vijñana. Para isso use o discer- nimento que brota em você e procure a Natureza Búdica em tudo. Veja! O lago está sereno, o vento sopra a refrescância e a lua nos banha tranqüilamente a noite toda. Que sacrifício há nisso? Associe a sua mente com a Natureza Búdica presente em tudo. Isso é o verda- deiro Satsanga! Gradualmente essa prática vai fazê-lo per- ceber cada vez mais o sabor da Vijñana e ai cessará toda a impermanência. Verá que este é o "outro mundo", que a felicidade não está em uma mudança de plano, mas sim onde você estiver. O paraíso está em ti. O inferno também, se você assim quiser. Pense nisso.

Vijñana: (do sânscrito) consciência.
Satsanga: (dos sânscrito) boa companhia, companhia dos sábios.
Perceber a Natureza Búdica: perceber a essência iluminadora subja- cente a todas as coisas.

Extraído de Babaji e o Kumara IV, colaboração do Grão Fráter El Sany Discípulo de Nardo

Um comentário:

Ravendra disse...

Belo texto...excelente ensinamento. Quando temos acesso ao mesmo, realmente é uma libertação.
A imagem escolhida é linda; adoro florestas. Florestas sempre me trouxeram a paz e o encontro comigo mesma. Amei!